quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Jaboatão Redescoberto e Juventude Suassuna percorrem zona rural de Moreno e Jaboatão

Por James Davidson



No último domingo, dia 16/01, o Jaboatão Redescoberto, junto com a Juventude Suassuna, fez um verdadeiro "tour" pelos engenhos de Jaboatão e Moreno. A aventura foi muito rica do ponto de vista cultural e teve vários momentos de descontração, lazer e entretenimento.



Nosso percurso começou no próprio Engenho Suassuna, de onde partimos e seguimos em direção ao Sítio Penandubinha, no Lote 56. De lá foi possível alcançar uma bela vista de todo o município a partir do cume de um monte. Inclusive as praias do litoral de Jaboatão estavam ao alcance de nossa visão.



Seguimos então por um caminho situado entre os engenhos Penanduba e Palmeiras até chegar no Engenho Pedra Lavrada. Tiramos umas fotos do engenho que foi um dos últimos de Jaboatão, pois surgiu nas últimas décadas do século XIX, mas, infelizmente, não possuía muitas relíquias históricas.



Passamos em seguida por uma nascente de um riacho que corre para o Arroio Secupema, afluente do São Salvador, já na Bacia do Rio Pirapama. Cruzamos o antigo engenho Secupeminha e partimos para o Engenho São Salvador. Lá pudemos visualizar parte da Mata do Sistema Gurjáu, reserva ecológica estadual entre o Cabo, Moreno e Jaboatão que tem como função proteger as nascentes que abastecem a Represa de Gurjaú.





De São Salvador deixamos os limites de Jaboatão e seguimos por trechos que pertencem ora ao Cabo de Santo Agostinho, ora a Moreno. Subindo pela várzea do Rio Gurjaú, chegamos ao Engenho Jacobina que pertence ao Cabo. Conversamos com moradores e fotografamos o local.







Chegamos a seguir no Engenho Gurjaú de Baixo, pertencente ao município de Moreno. Este engenho é um dos mais antigos da região, pois já existia no final do século XVI, sendo movido a água. Chegou a ser alguma vezes saqueado pelos holandeses e pertencia a Freguesia de Santo Amaro de Jaboatão. O nome Gurjaú vem do tupi e significa "Rio dos sapos".



Em Gurjaú registramos os edifícios do antigo engenho: fábrica, casa-grande, casa do administrador, etc. Conversamos com moradores que nos contavam histórias sobre o local. Visitamos a corredeira do rio Gurjaú onde, segundo Frei Jaboatão, existe uma pegada nas rochas que seria de São Tomé, segundo as lendas. Registramos uma marca parecida com um pé esquerdo na rocha, mas não sabemos se era que Frei Jaboatão se referia. Depois aproveitamos para tomar banho no rio.




Depois fomos em direção aos engenhos Mato-Grosso e Caraúna, em Moreno. Em Caraúna encontramos as antigas tachas da fábrica do engenho, em fente à casa-grande. Registramos o local que foi o primeiro engenho a vapor de Pernambuco e seguimos de volta a Jaboatão pela Morro da Macambira.





Chegamos no fim da tarde do cume da Macambira, o ponto mais alto de Jaboatão dos Guararapes. Avistamos e fotografamos a paisagem marcada pela vista sem obstáculos dos quatro horizontes, onde é possível avistar desde as colinas de Olinda até as praias do litoral cabense. Assistimos o belíssimo pôr-do-sol do local, onde encerramos o grande passeio pela zona rural de nosso município.



4 comentários:

alexandre roseno disse...

mano!!!!!!!!!!

vamos desbravar essa terra, mostrar nossa riquesa!!!!

izolet_valdir disse...

gostei bastante
desta reportagen pois voltei ao passado la pelos idos de 1963 quando tinha 11 anos e meu pai francisco bezerra dos santos era administrador do engenho pedra lavrada e eu vi a mesma casa que morei junto com mais 5 irmaos e note que hoje tem eletricidade coisa que nao tinha na epoca ok adorei!!!

izolet_valdir disse...

gostei bastante
desta reportagen pois voltei ao passado la pelos idos de 1963 quando tinha 11 anos e meu pai francisco bezerra dos santos era administrador do engenho pedra lavrada e eu vi a mesma casa que morei junto com mais 5 irmaos e note que hoje tem eletricidade coisa que nao tinha na epoca ok adorei!!!

Anônimo disse...

Lembrei-me de minha adolecência,
Morei no Engenho Coimbra e Trabalhei no Engenho Jacobina.
Quando eu ia pra Moreno passava no Engenho Gurjau.
Boas Lembranças.