quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Colônia dos Padres Salesianos

Por James Davidson



A Colônia dos Padres Salesianos fica situada em Jaboatão Centro, nos limites entre a zona rural e a zona urbana do município, a apenas 4 km da antiga sede de Jaboatão. É um dos principais atrativos turísticos de Jaboatão dos Guararapes e, além de funcionar como seminário para os padres salesianos, está aberta à visitação de leigos, religiosos ou não, e turistas.



O que na verdade mais destaca a Colônia dos Padres Salesianos de Jaboatão é o fato dela possuir a Basílica de N.S Auxiliadora, igreja centenária e bastante peculiar por ter sido construída sobre uma imensa rocha.




Abaixo dessa rocha fica a Gruta N.S de Lourdes, uma verdadeira furna ( pequena caverna) com o busto de D.Bosco no alto. Para chegar até lá é preciso descer por uma bela escadaria que também dá acesso a via-sacra de Cristo. Mais abaixo, encontra-se uma antiga escola, a Escola São Sebastião, fundada pelos padres e hoje completamente reformada. Esta escola atende principalmente os alunos da zona rural.


A Basílica de N.S Auxiliadora é uma das únicas basílicas rurais do país. Construída no início do século XX, tudo começou com a inauguração da Escola São Sebastião, em Janeiro de 1900, em terras dos antigos lotes 82, 83, 90 e 91 da Antiga Colônia Suassuna. Em 22 de janeiro de 1905, foi lançada a 1° pedra fundamental do templo pelo bispo de Olinda D. Raimundo da Silva Brito e o Padre Lourenço Giordano. Porém, o edifício só veio a ser inaugurado com muita dificuldade em 1915, com a ajuda fundamental do Padre Antonio Vellar.


A Basílica de N.S Auxiliadora é uma belíssima igreja em estilo bizantino que destaca-se na paisagem por sua beleza, tendo também dela uma bela visão da paisagem cercada de canaviais ao redor. Sua planta é de autoria do engenheiro Domingos Delpiano e seu interior é constituído com belas colunas de cor âmbar, coro e arcadas circulares. Nela se encontra ainda os restos mortais de alguns de seus fundadores e colaboradores. O local também conta uma uma imensa área verde e para a recreação.



Quem puder conhecer e visitar a Colônia dos Padres Salesianos é só ir a Jaboatão Centro e seguir pela principal rua do bairro de Vila Rica ou pegar o ônibus "Colônia" na estação do metrô! É um local que é um orgulho para nós jaboatonenses!

16 comentários:

Mauricio disse...

Em 1967, com 18 anos e como seminarista, tive o privilégio de viver, por um ano, na Colônia dos Padres. Nunca mais voltei a Jaboatão, mas hoje, 42 anos depois, tive o privilégio e a emoção de rever este belo lugar de Jaboatão.
Obrigado pela oportunidade.
Mauricio Cardoso Ribeiro

Sandra disse...

ola vc esta de parabéns mesmo,vc traz aos nossos corações lembranças maravilhasas,muito obrigada mesmo cara.

Gina Andrade disse...

eh muito liindo, e de manhazinha no inverno, a nevoa coisa mais liinda....

erica.ssouza disse...

James,parabéns e obrigada por nus proporcionar essa viagem ao ler a história de Jaboatão.Amo história !!
e lamento muito os moradores daqui não valorizarem essas riquezas.
Olha eu acho que deveria ter um projeto para que alunos de escolas principalmente publicas de Jaboatão, tivessem um passeio turistico em nosso municipio para que eles conheças nossa história e assim passem a preservar estes patrimônios,a Arte depois de Deus pode mudar o homem.

parosi disse...

È UM DOS LUGARES MAIS LINDOS DO MUNDO, NELE HÁ UMA PAZ INDIZÍVEL!
PAROSI.

Silvio F Santos disse...

Que bom ver essas imagens! Esse lugar me traz muitas lembranças da época que eu estudava no CFPJ (Centro de Formação Profissional de Jaboatão), na décade 80 ... Quantas estórias ...

Anônimo disse...

Gilvan Mergulhgão
Ola vc esta de parabéns, é um lugar maravilhoso, transmite uma paz muito grande sempre que posso vou lar dar um paseio de bicicleta.
Muito obrigado valeu.rided

Anônimo disse...

Adorei rever tudo, pois nasci em Macujé,Municipio de Jaboatão, mais hoje moro no Rio de Janeiro, sinto muita saudade da minha terra, minhas Igrejas maravilhas e tão acolhedoura,onde fiz minha primeira comunhão
.

Darlan disse...

Que maravilhoso este lugar simplesmente por ser dedicado a Maria Auxiliadora. Seis meses de paraíso neste lugar. obrigado.

Normando Carneiro da Silva disse...

Em 1960 era seminarista na Colônia dos Padres em Jaboatão. Tinha apenas 11 anos de idade e lá, apesar da beleza geográfica do lugar, não sabia o motivo de estar internado e para minha surpresa, descobri que teria que ser padre porque meu pai tinha feito diante de suas orações uma promessa por causa do meu problemático e quase não acontecido nascimento. Mas à tempo saí e hoje relembro aquelas paisagens com melancolia, uma prisão privilegiada.

Edjane Aguiar disse...

parabens pelo trabalho.nos faz recordar,hoje moro no rio de janeiro e sempre que vou em pernambuco tenho que passar na colonia.para mim é um dos pontos turisticos mas bonito de pernambuco.um grande patrimonio de jaboatão e do brasil.
parabens.

Marcos Torres disse...

Caro James.Obrigado por todas estas lembranças do nosso Jaboatao.Ja faz muito anos que estou fora do Brasil mais nao esqueço a cidade que grandi e os amigos que deichei.Voce me fez fazer uma viajem no tempo.Seria muito emportante tambem um pequeno comentario sobre D.Jovina (Nossa Professora e D;Cila Brandao.Um forte abraço e mais uma vez muito obrigado. MARCOS TORRES.

Anônimo disse...

Pr João Tenório Moura- _Pastor da Igreja Batista BÍBLICA DE GARANHUNS
Depois de 70 anos, voltei a antiga Escola Agricola de São Sebastião. Hoje estou com 80 anos Fou uma manhã de maravilhosas recordações. Tanto da convivência quanto do aprendizado que estão bem vivos na minha mente.Espero voltar a vizitar, se Deus permitir.No dia da minha vizita que fui acompanhado de 3 Cooperadores.Aré brevePR João tenório Moura Rua S, José 233 B.São José José Garanhuns Cep 55295-301

Carlos Figueiredo disse...

Normando Carneiro,
Eu também estive internado na colônia por três anos e queria realmente ser padre – depois mudei de ideia.
Tenho lembranças maravilhosas daquele tempo: O campo de futebol, a piscina cimentada (sem cerâmica), o pátio onde fazíamos um imensa fogueira (3 metros de altura) que eram acesa com colchões de palha; o teatro, onde apresentávamos nossas peças em que éramos espectador num dia e atores noutro; a paz e a beleza da igreja e da gruta e as missas diárias e a benção no final do dia com “boa-noite” e a matraca da Semana Santa; o amplo dormitório, com dezenas de camas enfileiradas onde jogávamos nossos corpos de crianças cansadas depois de um longo dia de brincadeiras, estudo, atividades religiosas.
Não consigo lembrar os nomes, mas me recordo das fisionomias do Pe. Conselheiro, do Pe. Prefeito (que tinha um apiário e fornecia mel de abelhas italianas para os alunos), do coadjuntor que dirigia o Jeep e cuidava da manutenção do seminário; da época das tanajuras, do retiro no Carnaval.
Lá se foram mais de meio século... e já não me recordo dos nomes dos colegas. Você deve ter sido um deles.
Um abraço a todos os ex-alunos da Colônia de Jaboatão.
Carlos Figueiredo – Recife – PE
E-mail: casfigueiredo@bol.com.br

Anônimo disse...

Normando Carneiro,
Eu também estive internado na colônia por três anos e queria realmente ser padre – depois mudei de ideia.
Tenho lembranças maravilhosas daquele tempo: O campo de futebol, a piscina cimentada (sem cerâmica), o pátio onde fazíamos um imensa fogueira (3 metros de altura) que eram acesa com colchões de palha; o teatro, onde apresentávamos nossas peças em que éramos espectador num dia e atores noutro; a paz e a beleza da igreja e da gruta e as missas diárias e a benção no final do dia com “boa-noite” e a matraca da Semana Santa; o amplo dormitório, com dezenas de camas enfileiradas onde jogávamos nossos corpos de crianças cansadas depois de um longo dia de brincadeiras, estudo, atividades religiosas.
Não consigo lembrar os nomes, mas me recordo das fisionomias do Pe. Conselheiro, do Pe. Prefeito (que tinha um apiário e fornecia mel de abelhas italianas para os alunos), do coadjuntor que dirigia o Jeep e cuidava da manutenção do seminário; da época das tanajuras, do retiro no Carnaval.
Lá se foram mais de meio século... e já não me recordo dos nomes dos colegas. Você deve ter sido um deles.
Um abraço a todos os ex-alunos da Colônia de Jaboatão.
Carlos Figueiredo – Recife – PE
E-mail: casfigueiredo@bol.com.br

Pronto Falei disse...

Ola eu queria saber como entrar em contato com os salesianos pra fazee encontro vocacional