terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Os piores prefeitos que Jaboatão já teve

Por James Davidson

A cidade de Jaboatão terá em janeiro de 2009 uma nova administração que torcemos para que seja diferente das que temos tido até agora. O novo prefeito Elias Gomes terá inúmeros desafios pela frente, entre estes o de recuperar uma cidade arrasada e destruída, não por guerras ou catástrofes naturais, mas pela corrupção e descaso dos políticos. Por isso, estamos pedindo a Deus que abençoe nossa cidade e que esse quadro terrível de abandono seja mudado com a nova administração.

Em face dos ultimos escândalos, decidi fazer um resgate histórico de alguns dos piores prefeitos que Jaboatão já teve:

Aníbal Varejão (1955-1959)- Agressivo e autoritário, foi o responsável pela demolição do Antigo Paço Municipal, belo prédio da prefeitura com linhas sóbrias e erguido em 1923. Construiu o horroroso prédio da prefeitura em Jaboatão Centro e cortou as árvores da Praça Dantas Barreto, inclusive um pau-brasil! Foi muito criticado pela imprensa da época por ter mudado de local várias vezes a administração municipal. Acabou renunciando três meses antes da conclusão do mandato, assumindo o vice: Vicente Carício.
Sua impopularidade chegou ao auge em 1959, após ter assassinado o Dr Luiz Regueira da Cunha, juiz da comarca, em pleno Palácio da Justiça! Sua casa foi incendiada pela população revoltada com o fato e por isso perdeu a eleição que disputou em 1968.

Fagundes de Menezes - Único prefeito a governar o município três vezes, sofreu intervenções em todas elas, sendo substituído por interventores. Em 1969 não pôde exercer o cargo por força do AI5 (Ditadura militar). Em 1982, volta à prefeitura e é impedido dois anos depois pelo governador Roberto Magalhães. É eleito outra vez e novamente sofre intervenção em 1988 por ordem do governador Miguel Arraes. Além dos motivos políticos, as intervenções ocorreram também por causa do abandono em que a cidade se encontrava em seus mandatos.

Fernando Rodovalho (2000-2004) - Vice de Newton Carneiro, assumiu após a deposição deste em 1999. Trocou as lâmpadas da cidade e conseguiu por isso vencer as eleições do ano 2000. Depois fez uma administração inexpressiva e chegou a ser investigado pela Polícia Federal por várias suspeitas de irregularidades. Chegou a afirmar que os ataques de tubarão não eram um problema e que não havia perigo para os banhistas. Sua administração foi tão apagada que na última eleição, quando concorria para vereador, teve apenas pouco mais de 300 votos na cidade em que já tinha sido prefeito!

Newton Carneiro(1997-1999, 2005-2008) - Eleito duas vezes por causa da imagem de "bom velhinho" e de "vítima", foi o responsável pelos últimos 12 anos de descaso, abandono e retrocesso na cidade de Jaboatão. Em seu primeiro mandato, o descaso chegou a ser tão grande que nem o lixo estava sendo recolhido e a população protestou colocando lixo na prefeitura! As ruas cheias de lixo foram motivo de chacota em nível nacional! As denúncias de corrupção e de desvio de recursos acabaram levando à intervenção no município e à renúncia do prefeito.
Em 2004, ele vence nas urnas com a imagem de "vítima" e de "injustiçado", voltando à prefeitura novamente. Passou a ser acusado por muitos de ser controlado pela própria filha. Não demorou muito e as denúncias de corrupção e os escândalos logo retornaram: projetos superfaturados, obras invisíveis, gastos milionários, a indenização de 960 mil no caso Yapoatam, entre outras denúncias de irregularidades que enchiam os jornais. Quase sofreu uma intervenção no final do mandato com o escândalo da secretaria de saúde. Foi humilhado nas urnas nas últimas eleições e foi o responsável pelo fechamento do Cine Samuel Campelo e da Maternidade Rita Barradas, entre outros desmandos na sua administração (se é que podemos assim chama-la).

4 comentários:

Marcos Venício Ribeiro disse...

Em primeiro lugar, parabéns pela sua iniciativa de tentar mostrar ao povo jaboatonenese e ao mundo a importância do nosso município,assim como suas riquezas históricas e o seu patrimônio cultural.Como professor recém-formado de História e residente na cidade desde o nascimento, confesso que não achava nada de interessante neste local que merecesse um estudo mais aprofundado, mas ao ler o seu blog fiquei bastante entusiasmado e ao mesmo tempo envergonhado com o descaso que eu mesmo cometi esquecendo da história do nosso munícipio.Por isso eu digo que acho bastante louvável a idéia de promover o que temos de mais interessante por aqui e que como professor de História pretendo ajudar a resgatar isso tudo.
Quantos aos prefeitos, espero que a partir dessa nova gestão, Jaboatão deixe de ser um curral eleitoral nos moldes feudais e seja um município com uma administração séria e digna e que faça com que nossa cidade seja realmente a segunada do Estado em todos os sentidos.

Sheyla Fonseca disse...

Infelizmente Jabotão tem um histórico amargo no que diz respeito a gestão municipal. Hoje, com quase 15 dias da nova gestão, vemos que o descuido durante a gestão de Newton Carneiro promete perdurar nos próximos anos, o que de fato se torna um grande desafio para o prefeito atual.
Peço a Deus que a nossa cidade encontre enfim um representante que volte seus olhos para a população e consiga reverter esta situação.

Anônimo disse...

Acho que caberia aqui nesta retrospectica acerca dos gestores do nosso municipio, a figura do ex-prefeito Geraldo Melo, não sei por qual razão o seu nome foi omitido. Pois pessoalmente, acredito que a desordem do municipio de Jaboatão começou durante a última gestão do Prefeito Geraldo Melo.

JAMES DAVIDSON disse...

Em resposta ao último comentário gostaria de informar que Jaboatão teve muitos maus prefeitos e que nem todos puderam ser incluídos aqui para a matéria não ficar muito longa. Quanto ao ex-prefeito Geraldo Melo é preciso que averiguemos os fatos e não boatos.Seu último mandato realmente foi marcado por algumas denúncias de corrupção,mas é preciso reconhecer também que quando prefeito na década de 70 realizou muitas obras de infra-estrutura como a rodovia de integração entre Prazeres e Jaboatão, incentivou a vinda de indústrias (já que contava com o apoio do governo militar da época), calçou as poucos ruas pavimentadas existente e construiu postos de saúde em vários lugares. Não tenho motivo algum para defendê-lo e respeito as opiniões contrárias, mas como pesquisador e tendo acesso aos jornais da época pude constatar tudo isso e por isso não o incluí entre os piores.Apesar dos escândalos foi ainda um dos poucos que fizeram alguma coisa.