sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Casa onde residiu o mestre Paulo Freyre

Por James Davidson
Fotos: Jorge Araújo


O grande mestre e pedagogo pernambucano Paulo Freyre, conhecido mundialmente pela grande contribuição que forneceu em suas obras à teoria da educação, escrevendo livros clássicos como Pedagogia do oprimido e Pedagogia da autonomia, nasceu no Recife, na Estrada do Encanamento, bairro de Casa Amarela. O que poucos sabem é que Paulo Freyre passou parte de sua infância e adolescência residindo em Jaboatão.



Ainda hoje, no Morro da Saúde, no Bairro de Santo Aleixo, em Jaboatão Centro, próximo ao estádio Jefferson de Freitas a ao ex-Colégio Piaget, existe sua antiga residência que sofreu poucas alterações desde a década de 30. Apesar do razoável estado de conservação, está precisando ser melhor preservada e um tombamento a nível municipal não seria exagero. Porém, grande parte dos jaboatonenses, mesmo os vizinhos, se quer sabem que aquela casa serviu para abrigar o grande mestre em sua passagem por Jaboatão.



Em Jaboatão, durante a década de 30, Paulo Freyre passou momentos difícies e sofridos, chegando inclusive a passar fome. Tomava banhos no Rio Duas Unas e pegava frutas dos quintais vizinhos para se alimentar. Estudava no Recife e tomava o trem todos os dias para chegar lá. Provavelmente, essas experiências vividas aqui contribuíram muito para a formação pessoal e profissional do grande mestre. Por isso, sua residência deve ser preservada e conhecida por todos, principalmente por aqueles que residem em Jaboatão. Até mesmo ele, antes de sua morte, visitava com certa frequência sua antiga residência dos tempos de outrora!


3 comentários:

Anônimo disse...

Oi, gostei muito do seu blog, espero que no seu livro não deixe de falar sobre o antigo teatro jaboatonense. Sim, para bibliografia recomendo "Jaboatão: histórias e lutas de Adriano Marcena".

abraço.
José Lourenço

celinho012 disse...

Gostei bastante do seu blog. E bom saber saber q tem alguem que se interesse por nossa cidade pouco divlgada pelo Brasil afora. E incrivel como uma cidade tão rica e populosa e que Pernambuco praticamente vive de sua arrecadação nunca se ouve comentar em emissoras algumas. Apenas quando ocorrem caso de violencia ou acidente como o Areia Branca q passou no JORNAL NACIONAL.
Espero q continue com esse trabalho e caso precise de minha colaboração, estou a disposição.
José Marcelo celinho012@hotmail.com

Anônimo disse...

Oi,gostei demais do seu blog.somos colega de profissão.gostaria q colocasse mais fotos dos nossos engenhos e casarões antigos.nossa cidade esta precisando ser lembrada por sua história e não pela sua arrecadação. abraço alessandra andrade