domingo, 21 de fevereiro de 2016

Retomada das Atividades do Blog

Prezados leitores a admiradores do Blog Jaboatão dos Guararapes Redescoberto

Saudações

Há quase 10 anos atrás tive a iniciativa de criar uma página virtual que tinha como finalidade principal divulgar os valores desconhecidos e as preciosidades encobertas do nosso querido município do Jaboatão dos Guararapes. O Blog Jaboatão dos Guararapes Redescoberto foi um dos primeiros blogs sobre nossa cidade, inspirando inclusive a criação de muitos outros com temáticas parecidas em nosso município e, também, com a mesma temática em outros municípios do Brasil todo. Foi um trabalho maravilhoso de resgate da autoestima jaboatonense através de postagens sobre os mais variados fatos de nossa história, de lugares escondidos e curiosos, sobre o nosso rico e valioso patrimônio histórico e natural, não ignorando também os problemas políticos, ambientais e sociais de nosso lugar. A contribuição desta página para a sociedade jaboatonense, modéstia à parte, acredito ser indiscutível, embora meu trabalho tenha sido na maioria das vezes ignorado pelos poderes públicos do município, tendo recebido poucas vezes a merecida atenção e o reconhecimento pelo mesmo. Todavia, como nunca fiz isto em busca de promoção pessoal, nem política, pois inicialmente meus objetivos sempre foram mais científicos e sociais que monetários, continuei mesmo assim na jornada de alimentar este blog, apesar das críticas destrutivas que recebi de alguns e das dificuldades mais variadas que se puseram ao meu caminho.
Porém, a maior das dificuldades que enfrentei em manter este blog não sobrevieram do contexto político local, como alguns julgam injustamente, mas sim por dificuldades na minha vida pessoal e particular. Comprometi minha saúde de forma significativa, inicialmente correndo atrás de um sonho de formalizar minhas pesquisas espontâneas com a vida acadêmica, na ingenuidade de acreditar que a universidade fosse um espaço aberto às descobertas e novos horizontes. Ingressei no mestrado em Arqueologia em 2012, após uma tentativa frustrada anterior por motivos que não cabem aqui relatar, mas que foram de sobremaneira injustos. Investir o todo o meu tempo disponível, o pouco meus recursos e de minhas energias em prol do mestrado para ter, infelizmente, meu esforço desprezado e desvalorizado por pessoas que ostentam o título de doutores, mas que não são dignas disso, por não terem o caráter e a imparcialidade necessárias para serem cientistas. Descobri infelizmente que a Academia de hoje tornou-se aquilo que um dia pretendeu não ser: dogmática, autoritária, sofista, demagógica, farisaica, inquisitória, mais semelhante à Igreja Católica Medieval que de fato à um espaço democrático de inovação e de pesquisa. Assim, tive que infelizmente abandonar o mestrado e comprometendo, com isso, boa parte das pesquisas que alimentavam esta página.
Posteriormente, tive que dividir minhas atenções com o município do Moreno, ao qual estou vinculado desde 2010 como funcionário público e professor, contribuindo para esse município, tanto com a criação de um blog semelhante para o mesmo: o Blog Moreno Redescoberto, tanto com a criação de uma apostila sobre a geografia do mesmo, tendo sido distribuída entre os diretores do município. À essa época, tinha sido convidado pelo então secretário de Educação Alilton Gomes para desempenhar a função de Coordenador de Geografia na Secretaria de Educação do Moreno, onde, ocupando cargo não comissionado, mas previsto no Estatuto do Magistério local, desempenhei minhas funções com dedicação e com o orgulho de fazer o melhor para o município, independente da situação política do mesmo, tendo a consciência limpa de não ter prejudicado à ninguém durante o tempo em que ali estive. Participei da elaboração das duas Conferências Municipais de Educação (2013 e 2015) e do Plano Municipal de Educação, sendo este último elaborado com muita dedicação e com a plena consciência de sua idoneidade, legalidade e total respeito ao que foi decidido na conferência aberta à população.
Participei da fundação de duas Academias de Letras: a ALJG (Academia de Letras do Jaboatão dos Guararapes) e AMLA ( Academia de Letras e Artes do Moreno), publiquei meu livro Memórias Destruídas após muitos empecilhos e dificuldades, e ainda iniciei a elaboração de vários outros trabalhos que, infelizmente, continuam incompletos, como um Livro sobre Muribeca dos Guararapes, um livro sobre o Patrimônio Histórico do Jaboatão e um livro sobre o município do Moreno. Todavia, apesar de meus esforços e valiosos trabalhos, sofri várias injustiças no último ano de 2015 e fui acometido por isso por um sério transtorno de ansiedade que resultou em várias idas e vindas aos hospitais, acompanhado de várias crises de cefaleias e enfado, o que prejudicou o meu desempenho em todas as minhas atividades no final do ano passado. Contudo, após três anos consecutivos, tive finalmente o direito de gozar de férias completas no mês de janeiro deste novo ano, acreditando assim ter recebido o merecido repouso depois de tantas atividades e realizações.
Por isso, venho aqui justificar que, até então ,não vinha sendo possível alimentar o blog da maneira que ele merecia ser atendido, tendo paralisado as minhas atividades por um tempo. Porém, venho hoje retomar as atividades do mesmo com esta postagens, esperando assim com a Graça do SENHOR continuar esse valioso trabalho que é valorizar a Memória e a Cultura de todo o Vale do Rio Jaboatão. Agradeço a compreensão de todos e conto com vossas orações.
 
James Davidson
 
 


quarta-feira, 6 de maio de 2015

Meu apoio ao Ocupe Estelita!

Por James Davidson

Como militante da causa da preservação do Patrimônio Histórico e como  autor de Memórias Destruídas, venho aqui expressar meu total apoio ao Movimento Ocupe Estelita. O espaço urbano não deve nem pode ser pensado apenas para defender os interesses elitistas. A cidade tem que ser feita e planejada para todos que nela habitam, e não apenas para satisfazer os lucros das empresas que financiam  os partidos políticos. É a contradição do  discurso neoliberal que diz que o Estado não deve interferir nos interesses privados, mas ao mesmo tempo utiliza e manipula o Estado para satisfazer e priorizar os interesses privados. É a hipocrisia de aplicar as leis ambientais e urbanísticas para as populações de baixa renda, mas vendar os olhos quando os poderosos violam as mesmas leis para construir empreendimentos luxuosos. É a imoralidade de entregar um terreno público no centro da cidade, em área de preservação ambiental e histórica, para que a iniciativa privada lucre em cima do que devia ser ocupado e utilizado por todos e para todos. Eu sou James Davidson e eu apoio o Movimento Ocupe Estelita!!!


terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Monumento Antigo em Jaboatão Centro

Por James Davidson


Quem mora ou trabalha em Jaboatão Centro talvez não conheça este monumento. Localizado na Praça Dantas Barreto (Praça do metrô), em frente à antiga Prefeitura do Jaboatão, passa despercebido pela maioria que por ali transita diariamente. E mesmo que nota sua presença, muitas vezes  ignora do que se trata na verdade.


Na verdade, este monumento tem uma história interessante. Foi colocado ali durante as comemorações do Tricentenário da Restauração Pernambucana, comemorado e celebrado em 1955. O evento, que mobilizou grande parte da sociedade pernambucana na época, devido à importância que a expulsão dos holandeses representa para a história do Nordeste e do Brasil, contou com a participação de pessoas importantes como as autoridades estaduais e municipais, militares, políticos, intelectuais, entre outros. Em Jaboatão, foi protagonista o então Prefeito Humberto Barradas que, participando ativamente das solenidades realizadas no município, mandou ser posto um monumento na Praça Dantas Barreto, em memória do Tricentenário da Restauração. 


O monumento consiste num granito encravado no solo, com uma placa de mármore no formato do Mapa de Pernambuco. Desconhecemos o artista autor da obra que contém os seguintes dizeres: "Homenagem do Jaboatão aos heróis da Restauração Pernambucana 1654 - 1954". Encontra-se precisando de maior atenção dos poderes municipais, já que foi alvo recentemente de pichadores que não ignoraram o monumento.